O mel mais doce do mundo

Esta é a história da destemida abelha Zuleide, cansada de rodar entre os parcos jardins e parques de uma cidade grande descobre um grande aliado, um menino esperto e curioso, morador de um bairro popular. Juntos, após um encontro desconfiado, eles promovem uma memorável revolução, não sem antes conquistar corações e mentes na escola do garoto. O Mel mais doce do mundo é o primeiro lançamento infanto-juvenil da Editora NPC e chega para açucarar a nossa esperança nesses tempos um tanto amargos e também para homenagear a professora Zuleide Faria de Melo, que inspira a personagem principal do livro. O texto é de Raquel Júnia e a ilustração de Carlos Contente.

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/10

Clique na imagem para ampliar

  1. Agradeço á Raquel Júnia pela confiança no meu traço em ilustrar seu texto e á Claudia Santiago pelo convite – foi quem me apresentou á Raquel e me contou “causos” sobre a abelhinha Zuleide Faria de Melo. Quero agradecer a todo o pessoal do NPC por quem tenho muita simpatia e sou espectador assíduo do programa Quintas Resistentes e agradecer aos amigos e familiares de Zuleide pela alegria de de trabalhar com a sua imagem de uma forma tão lúdica e doce.

  2. Procurei trazer para as imagens o espectro da luta pela emancipação dos trabalhadores. Símbolos, gestos e sobretudo pessoas. Vito Giannoti, Marielle Franco, estão lá, fazendo a revolução das plantas; a inspiração está nos detalhes, como os camponeses do símbolo do MST que estão fora da bandeira e colhendo os frutos da transformação. O suporte de xaxim que compõe um A - que remete ás greves radicais no Rio da décadas de dez do século XX. A foice e o martelo dispostos ali na cena e outros elementos gráficos vão dando sabor ás imagens.

  3. Estes espectros são importantes, são memória. Volto a dizer que o que me deixa mais contente é poder trabalhar a memória de Zuleide com ela viva, aos 91 anos. Busquei ler sobre ela, as homenagens; encontrei este pequeno livrinho que ela organizou – em 2001; escutei os causos que a Claudia Santiago me contou e sobretudo segui o roteiro brilhante, claríssimo escrito pela Raquel, que descreve bem as cenas, o cenário e foi um prazer deixar minha imaginação me levar por estes espaços seguindo a abelhinha Zuleide.

"O mel mais doce do mundo", de Raquel Júnia, está disponível na livraria Gramsci.